<%=NBResource_01_01 %>

Nuestros escritores y editores ofrecen ideas sobre las últimas noticias, eventos, entrevistas y acontecimientos del universo de desarrollo por empredimiento. Todos los post de NextBillion se enumeran aquí y pueden ser ordenados por fecha.

martes, 24 de diciembre de 2013

O melhor de 2013: IRIS, GIIRS e Pulse

por Paula Bonazzi e Danielle Cavalari

Nota da editora 1: nas próximas semanas, republicaremos alguns dos melhores artigos do NextBillion Brasil em 2013.
Nota da editora 2: este artigo foi originalmente publicado no blog Negócios Sociais.me e é republicado aqui com autorização das autoras.

~~

Na busca de definições para os negócios sociais, diferentes vertentes discutem a dualidade que existe entre o objetivo de gerar lucro e impacto social/ambiental positivo. Enquanto uns acreditam que um negócio social pode conciliar a maximização de lucro com a geração de impacto, outros acreditam que o objetivo central deve ser o impacto social e o lucro gerado deve ser reinvestido no negócio. Essa segunda perspectiva alega que, em situações que confrontem os dois objetivos, a maximização de lucro será sempre priorizada em detrimento do impacto social, gerando impactos sociais diminutos, de pouca significância.

Sendo assim, destaca-se um aspecto importante para negócios sociais: é necessário não somente gerar impacto social/ambiental, o ideal é gerar impacto social/ambiental de qualidade e grande alcance. Diante disso, é latente a necessidade de mensuração de impacto para o desenvolvimento dos negócios sociais. É verdade, porém, que a mensuração qualitativa e quantitativa de impacto social/ambiental se trata de um grande desafio. Muitas organizações individualmente procuram relatar seus impactos por meio de metodologia própria, o que pode gerar sérios questionamentos a respeito da sua legitimidade, além do que, cada uma emprega uma linguagem própria dificultando a integração de informações e experiências.

Frente esta necessidade, algumas iniciativas têm sido amplamente difundidas para mensuração de impacto. Em 2008, foi realizado um encontro em que a Rockefeller Foundation reuniu um grupo de investidores e filantropistas em Bellagio, Itália, dando origem ao GIIN (Global Impact Investment Network). O objetivo central deste encontro foi discutir as necessidades da indústria de investimento de impacto emergente para a geração de um impacto social e ambiental mais eficiente. Com isso, se organizaram em prol de 3 objetivos: criar e desenvolver uma rede global de investidores de impacto, criar uma estrutura conceitual padronizada para análise de impacto social/ambiental e criar grupos de investidores focados em desenvolver uma agricultura sustentável na África Subsaariana.

Quanto ao desenvolvimento de uma estrutura padronizada para análise de impacto, identificaram-se 3 principais necessidades: i. Desenvolver um conjunto de padrões para medida de performance de impacto; ii. Criar um sistema de Avaliação de Impacto; iii. Criar um sistema de Informação de Impacto. Com isso criaram-se os seguintes instrumentos: IRIS (Impact Reporting and Investment Standardsl; GIIRS (Global Impact Investing Rating System); e o PULSE, uma ferramenta de gestão de portfólios.

O IRIS foi uma das iniciativas desenvolvidas através do GIIN e foi lançado em 2009. Trata-se, portanto, de um conjunto de métricas padronizadas, que permitem medir e descrever o desempenho social, ambiental e financeiro de quem recebe investimentos de impacto. O objetivo de uma ferramenta como esta é permitir a padronização da linguagem utilizada, assim como estabelecer um entendimento comum a respeito dos impactos sociais e ambientais. Com isso espera-se permitir a legitimação do impacto e a geração de dados para o gerenciamento dos portfólios dos fundos de investimento de impacto.

O GIIRS é um sistema de avaliação e certificação de impacto independente, ou seja, de terceira parte, foi desenvolvido por uma organização sem fins lucrativos, chamada B Lab, com uma abordagem semelhante à utilizada no Morningstar Investiment Rating ou o S&P Credit Risck Rating, sistemas de avaliação de investimentos já conhecidos. O GIIRS tem como foco principal a avaliação do impacto social/ambiental em detrimento do desempenho financeiro, trabalhando com duas formas de avaliação, uma voltada para companhias individualmente e outra voltada para Fundos de Investimento de Impacto, relatando o desempenho de cada investimento do seu portfólio de forma ponderada.

A metodologia GIIRS permite agregar valor aos investimentos de impacto, uma vez que a mensuração do impacto social/ambiental fornece uma certificação independente passível de comparação no mercado e cria um relatório personalizado, com soluções analíticas para aperfeiçoamento do desempenho social/ambiental.

Por fim, o PULSE é administrado pela Application Experts (App-x) e consiste em uma plataforma de gerenciamento de dados para coleta, gestão e elaboração de relatórios de impacto que podem ser acessados por qualquer web browser. Esta ferramenta tem o objetivo de facilitar o gerenciamento de dados e também promover a transparência e a flexibilidade na gestão de impacto.

As incertezas quanto ao retorno financeiro e a liquidez do investimento são os maiores riscos a respeito de investimentos de impacto. Os padrões e a utilização das ferramentas de mensuração contribuem para a diminuição deste risco.

Referências:

GONZÁLEZ, D. Metodologias para avaliação de impacto. Todos os Artigos. NEXT BILLION BRASIL, 2011. Disponível em: <http://brasil.nextbillion.net/blogpost.aspx?blogid=22>

URL amigable: 

Story Snapshot

CLOSE